A Cidadania Européia pode acabar?

lisboaA crise na Europa tem gerado muitos comentários e especulações sobre o fim da maior experiência supranacional já vista no mundo moderno. A fragilidade dos países mais pobres e a postura inflexível da Alemanha são consideradas por alguns pensadores como o início do fim da União Européia. Mas o que aconteceria neste caso? A cidadania européia deixaria de existir? Não haveria mais direito de circulação e de residência no atual espaço comum europeu? Seria o fim do Euro?

Alguns países já criaram novas exigências brandas para que europeus possam se estabelecer nos respectivos territórios, tais como Inglaterra e Espanha. Nada radical foi imposto, mas nota-se claramente um movimento a fim de resguardar as vagas de emprego para os próprios nacionais e reduzir o custo de encargos sociais com estrangeiros, até mesmo de membros da União Européia.

O fim do Euro é algo praticamente impensável. O custo necessário para voltar a adotar as antigas moedas ou criar novas seria muito alto, além do impacto negativo nas transações comerciais no espaço europeu. É importante ressaltar que mais de 60% das exportações da própria Alemanha acontecem na União Européia, motivo suficiente para que o país tenha grande interesse na manutenção e desenvolvimento de toda a essa zona econômica.

Muito ainda pode acontecer, talvez não seja sensato divulgar profecias apocalípticas no decorrer de uma crise. A História nos ensina que a Europa já foi destruída em ocasiões distintas, mas sempre se ergueu e voltou a surpreender os países “mais jovens” com sua grande capacidade de recuperação.

Maurício