Por que existem tantos erros nos documentos de minha família?

porto azulejosNo passado, os portugueses emigravam com um único documento em mãos, o passaporte. Com validade muito curta, este documento logo era descartado, já que não seria utilizado novamente. Somente as famílias mais cuidadosas o guardavam, o que acontecia em poucas situações.

Ao chegar ao Brasil era feito o Registro de Desembarque e logo em seguida a Inscrição Consular. O primeiro geralmente era baseado nas informações existentes no passaporte, o segundo já podia ser feito a partir de declarações pessoais, ou seja, era muito menos preciso.

É importante recordar que os emigrantes eram pessoas simples, analfabetas ou pouco alfabetizadas. Às vezes não sabiam o nome correto dos pais e em alguns casos desconheciam até mesmo o próprio nome completo, além da data e do local exato de nascimento. A melhor forma de comprovar isso é quando estes portugueses se casam no Brasil ou registram os filhos – É nestes momentos que surgem os vários erros, que se repetem nas gerações seguintes.

O Consulado de Portugal por hábito não aceita documentos com divergências em nomes ou datas. Enviar estes documentos para Portugal pelos correios serve apenas para potencializar o problema existente. Corrigir documentos indiscriminadamente é um considerável investimento em tempo e dinheiro, que pode ser evitado.

 

MNG

 

Maurício